A institucionalização da pesquisa sobre ensino superior no Brasil

Clarissa Eckert Baeta Neves, Helena Sampaio, Rosana Heringer

Resumo


O artigo trata  da constituição do campo de estudos sobre  ensino superior. Vinculado ao  reconhecimento da  importância do  ensino superior nas  sociedades contempo- râneas, a emergência desse  novo  campo de  estudos é relativamente recente: surge nos anos  1970 nos Estados Unidos e se dissemina nas décadas seguintes para  outras partes do mundo. No Brasil,  embora já se evidencie, nas  décadas 1940 a 1970,  uma significativa produção acadêmica sobre  a universidade, seus  papeis na sociedade e modelos de organização – ressoando períodos de criação e de reforma da universida- de no país  -, é somente no final dos anos  1980 que o sistema de ensino superior e as instituições que  o compõem se tornaram objeto  de estudos e as pesquisas passaram a ser realizadas por grupos/núcleos e centros de investigação. Ao chamar a atenção para este novo campo de estudos, o artigo também ressalta a atualidade e pertinência nos  debates envolvendo questões como  igualdade de oportunidades, desigualdades sociais, estratificação e diversidade, investimentos em políticas sociais, decisões es- tratégicas em relação à formação de quadros profissionais e ao desenvolvimento da ciência, tecnologia e inovação no mundo globalizado.

Referências


ALMEIDA, Ana Maria; ÉRNICA, Maurício. (2015), Inclusão e segmentação social no ensino superior público no Estado de São Paulo (1990-2012). Edu- cação e Sociedade, v. 36, n. 130, pp. 63-83.

ARONOWITZ, Stanley. (2000), The knowledge factory – dismantleing the corporate university and creating true Higher Education. 1. ed. Boston: Be- acon Press.

AZEVEDO, Fernando. (1937), A educação e seus problemas. 1. ed. Rio de janeiro: Companhia Editora Nacional.

BALBACHEVSKY, Elizabeth; SAMPAIO, Helena. (2017), Brazilian Post- secondary Education in the twenty first Century: A Conservative mod- ernization. In: ALTBACH, Philip G.; REISBERG, Liz; WIT, Hans de (ed.). Responding to Massification. Differenciation in Post-Secondary Education Wordwide. Rotterdam/Boston/Taipei: Sense Publishers Books. pp. 155-

Disponível em: https://www.sensepublishers.com/catalogs/book- series/global-perspectives-on-higher-education/responding-to-massifica- tion/.

BARBOSA, Maria Ligia de O. (Org.). (2016), Ensino Superior: expansão e democratização. 1. ed. Rio de janeiro: 7 Letras.

BOURDIEU, Pierre; PASSERON, Jean-Claude. (1975), A Reprodução - ele- mentos para uma teoria dos sistemas de ensino. 1. ed. Rio de Janeiro: Fran- cisco Alves.

BRASIL (2015), Censo da Educação Superior – 2014. Principais Resultados. Brasília, DF: Ministério da Educação/INEP.

BRUNNER, Joaquin. J. (2009), La Universidad, sus derechos e incierto futu- ro. Revista Iberoamericana de Educación, n. 49, pp. 77-102.

CALHOUN, Craig. (2006), Is the University in crisis? Society, v. 43, n. 45, pp. 8-18.

CLARK, Burton. (1983), El sistema de educación superior – una visión com- parativa de la organización académica. México: Universidade Autónoma Metropolitana; Azacapotzalco: Nueva Imagen.

CLARK, Burton. (2001), The Entrepreneurial University: New Foundations for Collegiality, Autonomy, and Achievement. Higher Education Manage- ment, v. 13, n. 2, pp. 9-24.

COULON, Alain; NEVES, Angela. (1990), Sociologie de l’Éducation: dixans de recherche. Paris: L’Harmatan.

CUNHA, Luís Antônio. (1975), A expansão do ensino superior: causas e con- sequências. Debate & Crítica, n. 5, pp. 27-58.

CUNHA, Luís Antônio. (1980), Universidade Temporã. 1. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves.

CUNHA, Luís Antônio. (1983), Universidade Crítica. 1. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves.

CUNHA, Luís Antônio. (1988), Universidade Reformada – o golpe de 64 e a modernização do ensino superior. 1. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves.

CUNHA, Luís Antônio. (1981), A organização do campo educacional: as con- ferências da educação. Educação & Sociedade, ano III, n. 9, pp. 3 – 48.

DOUGHERTY, Kevin. (1997), Mass Higher Education: What is it Impetus? What is it Impact? Teachers College Record, v. 99, n. 1, pp. 66-72.

DUBET, Francois.; DURU-BELLAT, Marie.; VÉRÉTOUT, Antoine. (2012), As desigualdades escolares antes e depois da escola: organização escolar e in- fluência dos diplomas. Dossiê Sociedade e Educação: dilemas contemporâ- neos.Sociologias, ano 14, n. 29, pp. 22-70.

DURHAM, E. (1985), O movimento da reforma universitária da década de

1. ed. São Paulo: USP. Mimeo.

FÁVERO, Maria de Lourdes, A. (1990), Da universidade “modernizada” à universidade disciplinada: Atcon e Meira Matos. 1. ed. São Paulo: Editora Cortez.

FERNANDES, Florestan. (1975), Universidade brasileira: reforma ou revolu- ção? 1. ed. São Paulo: Alfa-Ômega.

FREITAG, Barbara. (1977), Escola, Estado e Sociedade. 1. ed. São Paulo: EDART.

GOLDTHORPE, John H. (1996), “Class Analysis and the Reorientation of Class Theory: The Case of Persisting Differentials in Educational Attain- ment”. The British Journal of Sociology, v. 47, n. 3, Special Issue for Lo- ckwood, pp. 481-505.

GUMPORT, Patricia. (2007), Sociology of Higher Education. Contribution and their contexts. 1. ed. Baltimore: The Johns Hopkins University Press.

HABERMAS, Jürgen. (2002), Discurso filosófico da modernidade. 1. ed. São Paulo: Editora Martins Fontes.

HERINGER, Rosana R. (2015), Affirmative Action and the Expansion of Hi- gher Education in Brazil. In: HERINGER, Rosana. R; JOHNSON, Ollie. (Org.). Race, Politics and Education in Brazil: affirmative action in higher educa- tion. 1. ed. New York: Palgrave Macmillan, v. 1. pp. 111-132.

HERINGER, Rosana R. (2016), Democratização da Educação Superior no Brasil: Novas Dinâmicas, Dilemas e Aprendizados. Cadernos do GEA, v. 7, pp. 2-4.

KEER, Clark. (1982), The uses of University. 1. ed. Cambridge, Mass: Harvard

University Press.

KISHORE, M. J. (2015), Higher Education, social demand and social equity in India. In: PILLAY, P.; PINHEIRO, R.; SCHAWTZAMAN, S. (ed.). Higher Education in the Brics Countries: Investigating the pact between higher edu- cation and society. Dordrecht: Springer. pp. 125-148.

MARTINS, Carlos B. (2012), Sociologia e ensino superior: encontro ou de- sencontro. Dossiê Sociedade e Educação: dilemas contemporâneos. Sociolo- gias, ano 14, n. 29, pp. 100-127.

MENEZES FILHO, Naercio A.; OLIVEIRA, Alinson P. (2014), Contribuição da Educação para a Queda na Desigualdade de Renda per Capita no Brasil. São Paulo: Centro de políticas Públicas do INSPER, Policy Papers. n. 9, pp.

-29.

MORIN, Edgar; LEFORT, Claude; CASTORIADES, Cornelius. (1968), May

: la brèche vingtans après. 1. ed. Paris: Fayard.

NEVES, Clarissa E. B. (2014), Enseñanza Superior en Brasil y las políticas de inclusión social. Páginas de Educación, v. 7, pp. 299-320.

NEVES, Clarissa E. B.; MARTINS, Carlos B. (2016), Ensino superior no brasil: uma visão abrangente. In: DWYER, Tom; ZEN, Eduardo Luiz; WE- LLER, Wivian; SHUGUANG, Jiu; KAIYUAN, Guo (org.). Jovens universitá- rios em um mundo em transformação: uma pesquisa sino-brasileira. 1. ed. Brasília: IPEA; Pequim: Social Science Academic Press/ SSAP, v. 1. pp.

-124.

NEVES, Clarissa E. B. (2013), Trajetórias escolares, famílias e políticas de inclusão social no ensino superior brasileiro. In: ROMANELLI, G.; NOGUEI- RA, M.A.; ZAGO, N. (org.). Família & Escola: Novas Perspectivas de Análise?

ed. Petrópolis, RJ: Vozes, v. 1. pp. 278-311.

NEVES, Clarissa E. B.; ANHAIA, Bruna C. (2014), Políticas de Inclusão So- cial no ensino superior no Brasil: políticas de redistribuição de oportuni- dades? Reflexões a partir das experiências em IES do Rio Grande do Sul.. In: BARBOSA, Maria Ligia de Oliveira. (org.). Ensino Superior: expansão e democratização. 1. ed. Rio de janeiro: 7 Letras. pp. 371-401.

OCDE – Organisation for Economic Co-operation and Development. (2013), Education at a Glance - OECD Indicators. http://www.oecd.org/edu/ eag2013%20(eng)--FINAL%2020%20June%202013.pdf.

OLIVEN, Arabela C. (1989), Resgatando o significado do departamento na universidade brasileira. In: MARTINS, C. B. (org.). Ensino superior brasilei- ro: Transformações e perspectivas. São Paulo: Brasiliense. pp. 49-66

POUPEAU, Franck. (2003), Une sociologie d’État: l’école et ses experts en Fran- ce. 1. ed. Paris: Raisons d’agir.

RIBEIRO, Darcy. (1975), A universidade necessária. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

RIESMAN, David; JENCKS, Christopher. (1968), The Academic Revolution.

ed. Garden City, New York: Doubleday.

SAMPAIO, Helena. (2000), O ensino superior no Brasil - o setor privado. São

Paulo: Fapesp/Hucitec.

SAMPAIO, Helena. (2014), Privatização do ensino superior no Brasil: Velhas e novas questões. In: SCHWARTZMAN, S. (org.). A educação superior na América Latina e os desafios do século XXI. Campinas: EditoraUnicamp. pp.

-192

SCHOFER, Evan; MEYER, John, W. (2005), The Word wide Expansion of

Higher Education in the Twentieth Century. American Sociology Review, v.

, n. 6, pp. 898-920.

SCHWARTZMAN, Simon; BRAGA, Ronald; MAIA, Nelly A. (1979) Educa- ção Superior Brasileira. Brasília, Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras. Série Estudos e Debates.

SCHWARTZMAN. Simon. (2014), Novos desafios do ensino superior no Sécu- lo XXI: Uma Introdução. In: SCHWARTZMAN. S. (org.) A educação superior na América Latina e os desafios do século XXI. Campinas: Editora Unicamp.

SANTOS, Boaventura. (1989), Da ideia de universidade à universidade de ideias. Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 27/18, pp. 11-62.

TEIXEIRA, Anísio. (1968), Uma perspectiva da educação superior no Brasil.

Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, n. 50, pp. 21-82.

TORRES, Carlos, A. (1998), Sociology of Higher Education: emerging perspec- tives. 1. ed. New York: State University of New York Press.

TOURAINE, Alain. (1972), Université et societé aux États-Unis. 1. ed. Paris: Seuil.

TROW, Martin, A.(1973), Problems in the Transition from Elite to Mass Higher

Education. 1. ed. Berkeley: Carnegie Commission on Higher Education.

UNESCO. (2012), Institute for Statistics. Disponível em: http://data.uis.unes- co.org/.

VIEIRA PINTO, Álvaro. (1962), A questão da universidade. 1. ed. Rio de Ja- neiro: UNE/Editora Universitrária.

VIEIRA, Sofia, L. (1982), O (dis)curso da (re)forma Universitária. 1. ed. For- taleza: Editora UFC/PROED.

YUZHUO, Cai; FENGQIAO, Yan. (2015), “Demands and Reponses in Chinese Higher Education”. In: PILLAY, P.; PINHEIRO, R.; SCHAWTZAMAN, S. (ed.).

Higher Education in the Brics Countries: Investigating the pact between hi- gher education and society. Dordrecht: Springer. pp. 149 -170.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

ISSN Impresso: 2317-8507

ISSN Eletrônico: 2318-0544

 

Indexado por:

Hispanic American Periodicals Index