O estado da arte e a agenda de pesquisa em economia solidária no Brasil

Adriane Vieira Ferrarini, Luiz Inácio Gaiger, Valmor Schiochet

Resumo


A profusão de empreendimentos econômicos solidários no Brasil  ensejou expressi- vos debates acadêmicos e justificou a criação de um Grupo de Trabalho (GT) intitula- do Economia social e solidária:  alternativas de trabalho,  participação e mobilização coletiva no  Congresso Brasileiro de  Sociologia. O presente texto  visa  apresentar o estado da arte da economia solidária e prospectar a agenda de pesquisa sobre o tema. Para tanto, inicialmente se situará a emergência e as características da economia so- lidária. Posteriormente, será discutida a integração da economia solidária ao campo acadêmico e sua  constituição como  objeto  científico. Por  fim,  serão  abordados os trabalhos do GT e sua contribuição ao tema  e à sociologia brasileira, concluindo com a agenda de pesquisa que  se delineia para  os estudos sobre  a economia solidária e práticas sociais  emergentes.


Referências


ABRAMOVAY, Ricardo et al. (2003), Mercados do empreendedorismo de pe- queno porte. 1. ed. Brasília: CEPAL.

ARAÚJO, Alcione et al. (2017), A bibliometric analysis of the Scielo data- base: a Brazilian portfolio of the solidarity economy. Scientometrics, v. 112, n. 1, online.

BOURDIEU, Pierre. (1989), O poder simbólico. 7. ed. Lisboa: DIFEL.

BRASIL. (2006), Anais da I Conferência Nacional de Economia Solidária. Brasília: SENAES/MTE.

CARDOSO, Adalberto. (2016), “Informality and public policies to overcome it. The case of Brazil”. Sociologia & Antropologia, v. 6, n. 2, pp. 321-349.

CÁRITAS. (1995), Sobrevivência e cidadania; avaliação qualitativa dos pro- jetos alternativos comunitários da Cáritas Brasileira. 1. ed. Brasília: UnB.

CATTANI, Antonio; HESPANHA, Pedro; GAIGER, Luiz; LAVILLE, Jean-Lou- is (Org.). (2009), Dicionário internacional da outra economia. 1. ed. Coimbra: Almedina.

CIMADON, José. (2008), Empreendedorismo em empresas criadas por neces- sidade. Dissertação de Mestrado em Engenharia de Produção. Santa Maria: Universidade Federal de Santa Maria.

CORAGGIO, José (Org.). (2009), ¿Que és lo económico? Materiales para un debate necesario contra el fatalismo. 1. ed. Buenos Aires: Ciccus.

CUNHA, Gabriela. (2011), Outras políticas para outras economias. Contex- tos e redes na construção de ações do governo federal voltadas à economia solidária (2003-2010). Tese de Doutorado em Sociologia. Brasília: UnB.

DA SILVA, Regilane; SILVA, Sandro. (2015), Em busca de um marco legal para a economia solidária no Brasil: análise da trajetória do PL 4.685/2012. Mercado de Trabalho (IPEA), n. 58, pp. 91-100.

DOURADO, Ivan. (2016), Economia solidária e antropologia econômica. Et- nografias da solidariedade brasileira. 1. ed. Porto Alegre: Editora Fi.

DRAIBE, Sonia; RIESCO, Manuel. (2011), Estado de Bem-Estar social e estra- tégias de desenvolvimento na América Latina: Um novo desenvolvimentis- mo em gestação? Sociologias, v. 13, n. 27, pp. 220-254.

DUBEUX, Ana et al. (2011), Estudio de casos brasileños. La dinámica de relaciones entre los foros de economía solidaria y las políticas públicas para la economía solidaria en Brasil. In: Foro Internacional sobre la Economía Social y Solidaria – FIESS, 2011, . Montréal, Chantier de l’Économie Sociale. pp. 39-58.

FARIA, Mauricio. (2001), Autogestão, cooperativa, economia solidária. Ava- tares do trabalho e do capital. 1. ed. Florianópolis: Editora em Debate.

FERRARINI, Adriane. (2016), Inclusão produtiva na política de assistên- cia social: workfare à brasileira ou ampliação de direitos? In: 40º ENCON- TRO ANUAL DA ANPOCS, 2016, Caxambu. Anais... online. Disponível em: http://www.anpocs.com/index.php/papers-40-encontro/st-10/st24-5/10388-

-inclusao-produtiva-na-politica-de-assistencia-social-workfare-a-brasileira-

-ou-ampliacao-de-direitos/file. Acesso em: 23 dez. 2017.

FRANÇA FILHO, Genauto; LAVILLE, Jean-Louis (Org.). (2006), Ação Pública e economia solidária: uma perspectiva internacional. 1. ed. Salvador: UFBA; Porto Alegre: UFRGS.

GADOTTI, Moacir; GUTIÉRREZ, Francisco (Org.). (1993), Educação comu- nitária e economia popular (Coleção Questões da Nossa Época, nº 25). 4. ed. São Paulo: Cortez.

GAIGER, Luiz (Org.). (2004), Sentidos e experiências da economia solidária no Brasil. 1. ed. Porto Alegre: UFRGS.

GAIGER, Luiz. (2012), “Por um olhar inverso: prismas e questões de pesqui- sa sobre a Economia Solidária”, Sociedade e Estado, v. 27, n. 2, pp. 313-335.

GAIGER, Luiz. (2013a), Práticas sociais e conhecimento acadêmico no cam- po da economia solidária. BIB - Revista Brasileira de Informação Bibliográfi- ca em Ciências Sociais, n. 73, pp. 5-20.

GAIGER, Luiz. (2013b), A economia solidária e a revitalização do paradigma cooperativo. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 28, n. 82, pp. 211-228.

GAIGER, Luiz. (2014), “Conhecer globalmente: um desafio inadiável dos es- tudos sobre a Economia Solidária”. Otra Economía, v. 8, n. 14, pp. 99-111.

GAIGER, Luiz. (2016), A descoberta dos vínculos sociais: os fundamentos da solidariedade. Coleção Ecosol. 1. ed. São Leopoldo: Editora Unisinos.

GAIGER, Luiz; LAVILLE, Jean-Louis. (2009), “Economia solidária”. In: CAT- TANI, Antonio; HESPANHA, Pedro; GAIGER, Luiz; LAVILLE, Jean-Louis (Org.). Dicionário internacional da outra economia. Coimbra: Almedina. pp.

-168.

GAIGER, Luiz; CORREA, Andressa. (2010), O microempreendedorismo em questão: elementos para um modelo alternativo. Política & Sociedade, v. 9, n. 17, pp. 205-230.

GAIGER, Luiz et al. (2014), A economia solidária no Brasil. Uma análise de dados nacionais. 1. ed. São Leopoldo: Oikos.

GAIGER, Luiz; FERRARINI, Adriane; VERONESE, Marília. (2015), Social enterprises in Brazil: an overview of solidarity economy enterprises. ICSEM Working Papers, n. 10, online. Disponível em: https://www.iap-socent.be/sites/default/files/Brazil%20-%20Gaiger%20et%20al.pdf. Acesso em: 22 dez.

GEORGES, Isabel; LEITE, Márcia (Org.). (2012), Novas configurações do tra- balho e economia solidária. 1. ed. São Paulo: Annablume.

GODOY, Tatiane. (2014), “Economia solidária e território: produção de es- paços democráticos e participativos”. Otra Economía, v. 8, n. 15, pp. 260-

GOHN, Maria da Glória. (2011), “Movimentos sociais na contemporaneida- de”. Revista Brasileira de Educação, v. 16, n. 47, pp. 333-361.

GRANOVETTER, Mark. (1985), “Economic Action and Social Structure: the problem of embeddedness”. The American Journal of Sociology, v. 91, n. 3, pp. 481-510.

HILLENKAMP, Isabelle; LAPEYRE, Frédéric; LEMAITRE, Andreia (Ed.). (2013), Securing Livelihoods. Informal Economy Practices and Institutions.

ed. Oxford: University of Oxford.

HILLENKAMP, Isabelle; LAVILLE, Jean-Louis. (2016), Socioeconomia e de- mocracia: a atualidade de Karl Polanyi. 1. ed. Porto Alegre: Escritos.

REVISTA KATÁLYSIS. (2008), Economia solidária e autogestão (Número

Temático), v. 11, n. 1.

KRUPPA, Sonia et al. (2012), “Regime jurídico das cooperativas populares e empreendimentos em economia solidária” (Série Pensando o Direito, n. 46).

ed. Brasília: Ministério da Justiça.

KUYVEN, Patrícia. (2016), Efeitos da economia solidária sobre a geração de renda e a redução da pobreza: um estudo de dados nacionais. Tese de Dou- torado em Ciências Sociais. São Leopoldo: Unisinos.

LECHAT, Nöelle. (2004), Trajetórias intelectuais e o campo da economia solidária no Brasil. Tese de doutorado em Ciências Sociais. Campinas: Uni- versidade Estadual de Campinas/ Instituto de Filosofia, Letras e Ciências Humanas.

LEITE, Márcia. (2009), “A economia solidária e o trabalho associativo: teorias e realidades”. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 24, n. 69, pp. 31-51.

LEITE, Marcia; ARAÚJO, Ângela; LIMA, Jacob (Org.). (2015), O trabalho na economia solidária: entre a precariedade e a emancipação. 1. ed. São Paulo: Annablume.

LIANZA, Sidney; ADDOR, Felipe (Org.). (2005), Tecnologia e Desenvolvi- mento Social e Solidário. 1. ed. Porto Alegre: UFRGS.

LIMA, Jacob. (Org.) (2007), Ligações perigosas: trabalho flexível e trabalho associado. 1. ed. São Paulo: Annablume.

LIMA, Jacob. (2012), “Cooperativas, trabalho associado, autogestão e Econo- mia solidária: a constituição do campo de pesquisa no Brasil”. In: GEORGES, Isabel; LEITE, Márcia. (Org.). Novas configurações do trabalho e economia solidária. São Paulo: Annablume. pp. 195-221.

MKANDAWIRE, Tandika. (2001), Social policy in a development context. Programme on Social Policy and Development, Paper n. 7. Geneva: UNRISD.

NYSSENS, Marthe; DEFOURNY, Jacques (Org.). (2017), Économie sociale et solidaire. Socioéconomie du 3e secteur. 1. ed. Louvain-la-Neuve: De Boeck Supérieur.

PARREIRAS, Luiz. (2007), Negócios solidários em cadeias produtivas. 1. ed. Rio de Janeiro: IPEA/ANPEC.

PINTO, João. (2006), Economia solidária; de volta à arte da associação. 1. ed. Porto Alegre: UFRGS.

PINHEIRO, Daniel. (2013), “Economia Solidária: uma revisão teórica a partir dos seus ‘múltiplos’ conceitos”. Revista NAU Social, v. 3, n. 5, pp. 85-105.

PINHEIRO, Daniel. (2016), “O estado da arte da produção científica em eco- nomia solidária”. Administração Pública e Gestão Social, v. 8, n. 2, pp. 95-

POLANYI, Karl. (2012), A subsistência do homem e ensaios correlatos. 1. ed. Rio de Janeiro: Editora Contraponto.

QUIJANO, Anibal. (2005), “Colonialidade do poder, eurocentrismo e Améri- ca Latina”. In: LANDER, Edgardo (Org.). A colonialidade do saber: eurocen- trismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Colección Sur Sur. Buenos Aires: CLACSO. pp. 227-278.

RECH, Daniel. (1995), Cooperativas: uma alternativa de organização popu- lar. 1. ed. Rio de Janeiro: FASE.

SANTOS, Boaventura. (2000), A crítica da razão indolente – contra o des- perdício da experiência. Para um novo senso comum: a ciência, o direito e a política na transição paradigmática (v. 1). 1. ed. São Paulo: Cortez.

SANTOS, Boaventura. (Org.) (2002), Produzir para viver; os caminhos da produção não capitalista. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

SANTOS, Boaventura; MENESES, Maria Paula (Org.). (2009), Epistemolo- gias do Sul. 1. ed. Coimbra: Almedina.

SCHIOCHET, Valmor. (2009), “Institucionalização das políticas públicas de economia solidária: breve trajetória e desafios”. Boletim Mercado de Traba- lho do IPEA, n. 40, pp. 55-59.

SCHIOCHET, Valmor. (2014), “Perfil económico y contribuciones a la eco- nomía, de los emprendimientos cooperativos y de la economía solidaria en Brasil”. In: La economía popular y solidaria el ser humano sobre el capital

– 2013. Quito: IEPS. pp. 175 -190. Disponível em: http://www.cora- ggioeconomia.org/jlc/archivos%20para%20descargar/La%20economia%20

Popular%20y%20Solidaria%20El%20Ser%20Humano%20Sobre%20el%20 Capital-1.pdf. Acesso em: 21 dez. 2017.

SCHMIDT, Carlos; NOVAES, Henrique (Org.). (2013), Economia solidária e transformação social. Rumo a uma sociedade para além do capital? 1. ed. Porto Alegre: UFRGS.

SERVA, Maurício; ANDION, Carolina. (2004), “Por uma visão positiva da so- ciedade civil: uma análise histórica da sociedade civil organizada no Brasil”. CAYAPA - Revista Venezolana de Economía Social, v. 4, n. 7, pp. 7-24.

SERVA, Maurício; ANDION, Carolina. (2006), Uma delimitação do campo da economia social no Brasil: história, correntes e atores. In: 30º ENCONTRO DA ANPAD, 2006, Salvador. Anais... Online. Disponível em: http://www.so- cioeco.org/bdf_fiche-document-3521_pt.html. Acesso em: 22 dez. 2017.

SILVA, Marcelo; OLIVEIRA, Gerson. (2011), “A face oculta(da) dos movimen- tos sociais: trânsito institucional e intersecção Estado-Movimento – uma análise do movimento de Economia Solidária no Rio Grande do Sul”. Socio- logias, v. 28, n. 13, pp. 86-124.

SINGER, Paul; SOUZA, André (Org.). (2000), A economia solidária no Bra- sil: a autogestão como resposta ao desemprego. 1. ed. São Paulo: Contexto.

SOUZA, Armando. (2012), “Política pública de economia solidária e desen- volvimento territorial”. Boletim Mercado de Trabalho do IPEA, n. 52, pp. 53-

SOUZA, Daniela. (2008), “Reestruturação capitalista e trabalho: notas críti- cas acerca da economia solidária”. Katálysis, v. 11, n. 1, pp. 53-60.

THORNTON, Patricia. (1999), The Sociology of Entrepreneurship. Annual

Review of Sociology, n. 25, pp. 19-46.

VERONESE, Marília (Org.). (2007), Economía solidaria y subjectividad. 1. ed. Buenos Aires: Altamira.

VERONESE, Marília. (2008), Psicologia social e economia solidária. 1. ed. Aparecida: Ideias & Letras.

VINHA, Valéria. (2003), “Polanyi e a nova sociologia econômica: uma apli- cação contemporânea do conceito de enraizamento social”. Econômica, v. 3, n. 2, pp. 207-230.

WELLEN, Henrique. (2008), “Contribuição à crítica da ‘economia solidária’”. Katálysis, v. 11, n. 1, pp. 105-115.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

ISSN Impresso: 2317-8507

ISSN Eletrônico: 2318-0544

 

Indexado por:

Hispanic American Periodicals Index