Pop com gentílico

Luã Ferreira Leal

Resumo


A proposta deste artigo é analisar a conversão do mercado da música em fração do mercado de entretenimento e a criação de novos rótulos, sobretudo os elaborados na Coreia do Sul e no Japão desde a década de 1990. A “música pop” não será abordada neste trabalho como “gênero musical”, mas como categoria mercadológica ou índice de classificação da produção cultural. Os casos de empresas de entretenimento – Avex e AKS do Japão e YG, S.M. e Chrome da Coreia do Sul – serão apresentados para análise da interpenetração entre as atividades de produção de musical e as demais esferas do mercado de entretenimento. Devido ao conjunto de procedimentos classificatórios das indústrias culturais para a produção de entretenimento integrada globalmente, os gentílicos demarcam origem e são transformados em elementos que diferenciam produtos no mercado de bens simbólicos.


Referências


APPADURAI, Arjun. (1990), “Disjuncture and Difference in the Global Culture Economy”. Theory, Culture & Society, Londres, Newburry Park e Nova Délhi, v.7, pp.295-310.

CHENG, Li-Chih. (2008), The Korea Brand: The Cultural Dimension of South Korea's Branding Project in 2008. SAIS U.S.-Korea Yearbook 2008. Baltimore: Johns Hopkins University.

DIAS, Marcia Tosta. (2000), Os Donos da Voz. Indústria fonográfica brasileira e mundialização da cultura. São Paulo: Boitempo Editorial/FAPESP.

FRITH, Simon. (1998), Performing Rites: On the Value of Popular Music. Cambridge/Massachusetts: Havard University Press.

INTERNATIONAL FEDERATION OF THE PHONOGRAPHIC INDUSTRY. (2014), IFPI Digital Musical Report 2014: Lighting Up New Markets. Disponível em: http://www.ifpi.org/downloads/Digital-Music-Report-2014.pdf. Acesso em: 19/12/2015.

LASH, Scott, URRY, John. (1994), Economies of Signs and Space. London, Thousand Oaks, New Delhi: SAGE Publications.

LIE, John. (2012), “What is the K in K-pop? South Korean Popular Music, the Culture Industry, and National Identity”. Korea Observer, v.43, n.3, pp. 339-363.

MUSIQUE EN JEU. (1971), “Dossier: la pop music”, nº2, Éditions du Seuil, Paris.

NICOLAU NETTO, Michel. (2009), Música brasileira e identidade nacional na mundialização. São Paulo: FAPESP: Annablume.

NIPPON. (2010), “Japan, Global Headquarters of Manga”, n.4, março.

ORTIZ, Renato. (2007), Mundialização e Cultura. São Paulo: Brasiliense.

SASSEN, Saskia. (2007), A Sociology of Globalization. Nova Iorque e Londres: W. W. Norton & Company.

THE KOREAN WAVE: A NEW POP CULTURE PHENOMENON. (2011), Contemporary Korea nº1. Seoul: Korean Culture and Information Service, Ministry of Culture, Sports and Tourism.

http://dx.doi.org/10.20336/rbs.195

DOI: 10.20336/rbs.195


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

ISSN Impresso: 2317-8507

ISSN Eletrônico: 2318-0544

 

Indexado por:

Hispanic American Periodicals Index