Idiossincrasias do sistema sesmarial no semiárido nordestino: visões, (di)visões e conformações da estrutura agrária e social

Kaliane Freitas Maia, Ramonildes Alves Gomes, Aldo Manoel Branquinho Nunes

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar narrativas que remetem ao povoamento e ocupação dos Sertões Nordestinos, utilizando evidências empíricas para problematizar um quadro teórico-metodológico tornado clássico na teoria social brasileira. Assumindo uma posição crítica em relação às visões que tomaram o “mito sesmarial pecuarista” como fundamento explicativo para as desigualdades sociais e a concentração de terras no Nordeste, construímos novas hipóteses e evidências amparadas na pesquisa empírica e documental, apoiadas em fontes como cartas de sesmarias, inventários post mortem dos proprietários de terras e história oral, tendo como recorte empírico a microrregião da Serra do Teixeira, no estado da Paraíba, a partir da qual se constata a presença de outros grupos, que, já no século XVIII, imprimiram formas diversas de ocupação da terra e de povoamento.


Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, João Capistrano de. Capítulos de História Colonial e Caminhos Antigos e o

Povoamento do Brasil. Brasília: UnB, 1982.

ANDRADE, Manuel Correia de. A terra e o homem no Nordeste: contribuição ao estudo da questão agrária no Nordeste. 6ª ed. Recife: Editora Universitária da UFPE, 1998.

ANDRADE, Manuel Correia de. O processo de ocupação do espaço regional do Nordeste. 2ª ed. Recife: SUDENE- Coordenação de Planejamento Regional, 1979.

ANTONIL, André João. Cultura e opulência do Brasil. 3. ed. Belo Horizonte: Itatiaia/Edusp, 1982. (Coleção Reconquista do Brasil). Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/bv000026.pdf. Acesso em: 20/09/2019.

CARVALHO, M.G.R.F. de. 1982. Estado da Paraíba: Classificação Geomorfológica. João Pessoa, Brasil. Editora da UFPB.

FURTADO, Celso. Formação Econômica do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

GALLIZA, Diana Soares. O declínio da escravidão na Paraíba (1850-1888). João Pessoa: Editora Universitária /UFPB, 1979.

JOFILLY, Irenêo. Notas sobre a Parahyba. Brasília 2ª ed. Teshaurus, 1977.

MENEZES, Djacir. O outro Nordeste: Ensaio sobre a evolução social e política do Nordeste da “civilização do couro” e suas implicações históricas nos problemas gerais. 2ª Edição refundida e aumentada. Rio de Janeiro: Editora Artenova, 1970.

NUNES, Aldo Manoel Branquinho. Currais, cangalhas e vapores: dinâmicas de fronteira e conformação das estruturas social e fundiária nos “Sertões da Borborema” (1780-1920), 429f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais). Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, 2017.

OLIVEIRA, Francisco de. Elegia para uma re(li)gião: SUDENE, Nordeste, planejamento e conflitos de classe. 2ª ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1977.

PALACIOS, Guillermo. Campesinato e escravidão no Brasil – agricultores livres e pobres na capitania de Pernambuco (1700-1817). Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2004, 380 p.

PRADO JÚNIOR, Caio. História Econômica do Brasil. 48 ed. São Paulo: Brasiliense, 2008.

SIMONSEN, Roberto Cochrane. História econômica do Brasil (1500/1820). 7ª ed. São Paulo/Brasília: Editora Nacional/Instituto Nacional do Livro, 1977.

TAVARES, João de Lyra. Apontamentos para a história territorial da Parahyba. Coleção Mossoroense, 1982.

RELATÓRIOS DE PRESIDENTES DAS PROVÍNCIAS

PARAHYBA DO NORTE. Relatório apresentado á Assembléa Legislativa da província da Parahyba do Norte em 20 de setembro de 1858 pelo presidente, Henrique de Beaurepaire Rohan. Parahyba, Typ. de José Rodrigues da Costa, 1858.




DOI: http://dx.doi.org/10.20336/rbs.553

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Brasileira de Sociologia - RBS

ISSN Impresso: 2317-8507

ISSN Eletrônico: 2318-0544


Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 

Indexado por:

 Hispanic American Periodicals Index

INDEX h5 

h5-index 8  /  h5-median 10