“No Norte tem Comando”: as maneiras de fazer o crime, a guerra e o domínio das prisões do Amazonas |"North has Command": the ways of making crime, war and domination of the Amazon's prisons.

Italo Barbosa Lima Siqueira, Luiz Fábio Silva Paiva

Resumo


Este artigo analisa as maneiras de fazer o crime de um grupo reconhecido como a Família do Norte (FDN). Observa como a FDN conquistou espaço e reconhecimento entre pessoas envolvidas em práticas ilegais, reivindicando para si o controle social do crime no Norte do País. Discute os conflitos e as lutas simbólicas em torno da ideia de uma família que centraliza e estabelece o comando do crime dentro e fora das prisões no Amazonas. Demonstra ainda as nuances de alianças e disputas com o Comando Vermelho (CV) e o Primeiro Comando da Capital (PCC). Os resultados apresentados são frutos de pesquisas qualitativas feitas no Estado do Amazonas, em regiões de fronteira, cidades e dentro do sistema prisional. Eles revelam as dinâmicas de um grupo que se consolidou no cenário brasileiro, construindo ações políticas e morais que repercutiram nas maneiras de fazer o crime no Norte do País.


Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Sergio; DIAS, Camila Nunes. (2013), “Articulação entre o mundo interno e externo às instituições prisionais: questões para a construção de um novo paradigma no domínio da sociologia das prisões”. In: 37º Encontro Anual da ANPOCS, Águas de Lindóia (SP).

ALVAREZ, Marcos César; SALLA, Fernando; DIAS, Camila Nunes. (2013), “Das Comissões de Solidariedade ao Primeiro Comando da Capital em São Paulo”. Tempo Social, v. 25, n. 1, p. 61-82.

AQUINO, Jania Perla Diógenes de. (2010), Príncipes e Castelos de Areia: Performance e Liminaridade no universo dos grandes roubos. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo: Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social.

AQUINO, Jania Perla Diógenes de; HIRATA, Daniel. (2018), “Inserções etnográficas ao universo do crime: algumas considerações sobre pesquisas realizadas no Brasil entre 2000 e 2017”. Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais - BIB, São Paulo n. 84, 2.

BARBOSA, Antônio Rafael. (1998), Um abraço para todos os amigos: algumas considerações sobre o tráfico de drogas no Rio de Janeiro. Niterói: EDUFF.

BARBOSA, Antônio Rafael. (2001), “As armas do crime: reflexões sobre o tráfico de drogas no Rio de Janeiro”. Civitas – Revista de Ciências Sociais, ano 1, nº 2, dez. p. 165 a 176.

BARREIRA, César. (1998), Crimes por encomenda: violência e pistolagem no cenário brasileiro. Rio de Janeiro, Relume Dumará.

BARREIRA, César. (2016), “Insegurança, medo e crueldade no cenário urbano de Fortaleza”. In: Barreira, César, Barreira, Irlys. (orgs.) Etnografias na cidade: redes, conflitos e lugares. Campinas, SP: Pontes Editores.

BIONDI, Karina. (2018), Proibido roubar na quebrada: território, hierarquia e lei no PCC. 1. ed. São Paulo: Editora Terceiro Nome / Editora Gramma.

BOURDIEU, Pierre. (2005), O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

CANDOTTI, Fabio M.; MELO, Flavia; SIQUEIRA, Italo B. L. (2017), “A grande narrativa do norte: considerações na fronteira entre crime e estado”. In: MALLART, Fábio; GODOI, Rafael (Org.). BR 111: a rota das prisões brasileiras. 1ed. São Paulo: Veneta, 2017, v. 1, p. 21 a 33.

CERTEAU, Michel de. (1994), A invenção do cotidiano 1: artes de fazer. Petrópolis, RJ: Vozes.

DIAS, Camila Nunes. (2013a) PCC: hegemonia nas prisões e monopólio da violência. São Paulo: Saraiva.

DIAS, Camila Nunes. (2013b), “A regulação dos conflitos pelo PCC no interior das prisões paulistas: redução da violência física, interdependência e controle social”. In: LOURENÇO, L. C; GOMES, L. R (org.). Prisões e punição: no Brasil contemporâneo. Salvador: EDUFBA.

DIAS, Camila N. (2017), “Encarceramento, seletividade e opressão: a ‘crise carcerária’ como projeto político”. Friedrich Ebert Stiftung, nº 28.

DRAKE, Deborah H.; Earle, Rod; Sloan, Jennifer. (Eds.). (2016), The Palgrave handbook of prison ethnography. Springer.

Durkheim, É. (2003), As formas elementares da vida religiosa (3ª edição). São Paulo: Martins Fontes.

FELTRAN, Gabriel (2018), Irmãos: Uma história do PCC. São Paulo: Editora Companhia das Letras.

GIDDENS, Anthony (2009), A constituição da sociedade (3a). São Paulo: WMF Martins Fontes.

GODOI, Rafael. (2010), Ao redor e através da prisão: cartografias do dispositivo carcerário contemporâneo. Dissertação de Mestrado. Departamento de Sociologia, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2010.

GODOI, Rafael. (2017), Fluxos em cadeia: as prisões em São Paulo na virada dos tempos. São Paulo: Boitempo, 2017.

GRILLO, Carolina Christoph. (2008), Fazendo o Doze na Pista, um estudo de caso do mercado ilegal de drogas na classe média. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia da UFRJ.

GRILLO, Carolina Christoph. (2013), Coisas da Vida no Crime: tráfico e roubo em favelas cariocas. 2013. 280p. Tese de Doutorado. Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

HIRATA, Daniel. (2018), Sobreviver na Adversidade: mercados e formas de vida. 1. ed. São Carlos: Edufscar, v. 1. 258p.

LOURENÇO, Luiz Claudio. C; GOMES, L. R. (2013), Prisões e punição no Brasil contemporâneo. SciELO-EDUFBA.

LOURENÇO, Luiz Claudio; ALMEIDA, Odilza. (2013), "Quem mantém a ordem, quem cria desordem": gangues prisionais na Bahia . Tempo Social, 25(1), 37-59.

LOURENÇO, Luiz Claudio. (2017), “O jogo dos sete erros nas prisões do Brasil: discutindo os pilares de um sistema que não existe”. In: O público e privado. Nº 30, jul/dez.

Manso, Bruno P.; DIAS, Camila. (2018), A Guerra: a ascensão do PCC e o mundo do crime no Brasil. Editora Todavia SA.

MARQUES, Adalton. (2009), Crime, proceder, convívio-seguro: um experimento antropológico a partir de relações entre ladrões. Dissertação de Mestrado. Departamento de Antropologia, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo.

MISSE, Michel. (2007), “Mercados ilegais, redes de proteção e organização local do crime no Rio de Janeiro”. Estudos Avançados, 21(61), 139-157.

PAIVA, Luiz Fábio S. (2019), “As dinâmicas do mercado ilegal de cocaína na tríplice fronteira entre Brasil, Peru e Colômbia”. REVISTA BRASILEIRA DE CIÊNCIAS SOCIAIS (ONLINE), v. 34, p. 1-19.

POLÍCIA FEDERAL. (2016), Operação LaMuralla. Relatório Final. Superintendência Regional do Amazonas, DRE – Delegacia de Repressão a Entorpecentes.

SÁ, Leonardo Damasceno. (2010), Guerra, mundão e consideração: uma etnografia das relações sociais dos jovens no Serviluz. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza.

SCHÜTZ, Alfred. (2012), Sobre fenomenologia e relações sociais. Petrópolis, Vozes.

SINHORETTO, Jacqueline, SILVESTRE, Giane, & MELO, Felipe A. L. (2013), “O encarceramento em massa em São Paulo”. Tempo Social, 25(1), 83-106.

SIQUEIRA, Italo B. L. (2016), “Aqui ninguém fala, escuta ou vê”: relatos sobre o cotidiano profissional dos agentes de segurança penitenciária em Manaus. 224f. Dissertação (Mestrado). Departamento de Ciências Sociais, Instituto de Ciências Humanas e Letras, Universidade Federal do Amazonas, Manaus (AM).

SIQUEIRA, Italo B. L. (2017), “Rebeliões, Fugas, Motins e Massacres: Crises no Sistema Penitenciário do Amazonas”. In: 3º Seminário Internacional de Pesquisa em Prisão, Recife (PE), 2017.

SIQUEIRA, Italo B. L.; Luiz Fábio S. (2017), “No Norte tem Comando”: as contradições e os efeitos políticos do encarceramento em massa. In: 18º Congresso Brasileiro de Sociologia. Brasília (DF), 2017.

SIQUEIRA, Italo B. L.; ACCIOLY, Maria Izabel Feitosa. (2018), “Fanzines, beatbox e as táticas de comunicação nas prisões do Ceará e do Amazonas”. In: 42º Encontro Anual da ANPOCS. Caxambu (MG), 2018.

TELLES, Vera da Silva, & HIRATA, Daniel Veloso. (2010), “Ilegalismos e jogos de poder em São Paulo”. Tempo Social, 22(2), 39-59.

WEBER, Max. (2000), Economia e Sociedade: fundamentos da sociologia compreensiva. Brasília, Editora da UnB.




DOI: http://dx.doi.org/10.20336/rbs.486

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Brasileira de Sociologia - RBS

ISSN Impresso: 2317-8507

ISSN Eletrônico: 2318-0544


Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 

Indexado por:

 Hispanic American Periodicals Index

INDEX h5 

h5-index 8  /  h5-median 10