Arte, Juventude e Legitimação: Uma Análise Comparativa sobre Jovens Artistas da Arte Contemporânea nos Contextos Brasileiro e Uruguaio |Art, Youth and Legitimation: a comparative analysis of young artists of contemporary art in the brazilian and uruguayan

Guilherme Marcondes dos Santos, Tálisson Melo de Souza

Resumo


Com o advento da arte contemporânea, nos anos de 1960 e em diante, as regras que regem as condutas no sistema da arte foram alteradas, afetando e acolhendo linguagens artísticas emergentes de caráter não objetual; mudanças estas que parecem ter estabelecido novos processos de legitimação de carreiras artísticas. Essa hipótese orientou o escopo de análise em dois projetos de pesquisa sobre jovens artistas visuais da arte contemporânea no Brasil e no Uruguai. Este artigo se propõe a reunir e comparar os dados de ambas investigações a fim de: 1) tratar da importância de jovens artistas para o funcionamento do circuito artístico da arte contemporânea; 2) indicar as similaridades e diferenças acerca da construção de carreiras artísticas no Brasil e no Uruguai; 3) apresentar quem são os/as/xs jovens artistas de ambos contextos; e 4) compreender suas estratégias em busca de legitimação.


Texto completo:

PDF

Referências


ARCHER, Michael. (2012), Arte contemporânea: uma história concisa. 2 ed. São Paulo: Martins Fontes.

BAMBIRRA, Vânia. (1974), El capitalismo dependiente latinoamericano. 1 ed. México: Siglo XXI.

BASBAUM, Ricardo. (2005), Amo os Artistas-Etc. In: MOURA, Rodrigo (Org.). Políticas Institucionais, Práticas Curatoriais. 1 ed. Belo Horizonte: Museu de Arte da Pampulha. Online. Disponível em: https://rbtxt.files.wordpress.com/2009/09/artista_etc.pdf.

BECKER, Howard S. ([1982] 2008), Art worlds. 1 ed. Berkeley: University of California Press.

BELTING, Hans. (2006), O Fim da História da Arte. 1 ed. São Paulo: Cosac & Naify.

BOURDIEU, Pierre. (1983), Questões de Sociologia. 1 ed. Rio de Janeiro: Marco Zero Limitada.

BOURDIEU, Pierre. (1996), As Regras da Arte. 1 ed. São Paulo: Companhia das Letras.

BOURDIEU, Pierre. (2011), Razões Práticas – sobre a Teoria da Ação. 1 ed. Campinas-SP: Papirus Editora.

BUSKIRK, Martha. (2003), The Contingent Object of Contemporary Art. 1 ed. Cambridge: MIT Press.

DAHRENDORF, Ralf. (1959), Class and Class Conflict in Industrial Society. 1 ed. Standford: Stanford University Press.

DANTO, Arthur C. (2006), Após o Fim da Arte – A Arte Contemporânea e os Limites da História. 2 ed. São Paulo: Odysseus Editora.

ELIAS, Norbert. (1995), Mozart – sociologia de um gênio. 1 ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor.

ERBER, Pedro R. (2015), Breaching the Frame – The Rise of Contemporary Art in Brazil and Japan. 1 ed. Berckley: University of California Press.

FOUCAULT, Michel. (1987), Vigiar e Punir: nascimento da prisão. 1 ed. Petrópolis: Vozes.

HEINICH, Nathalie. (2014), “Práticas da Arte Contemporânea: uma abordagem pragmática a um novo paradigma artístico”. Revista Sociologia & Antropologia, v. 04, n. 02, pp. 373-390.

MARCONDES, Guilherme. (2014), Arte, Crítica e Curadoria: diálogos sobre autoridade e legitimidade. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro.

MARCONDES, Guilherme. (2018a), Arte e Consagração: os jovens artistas da arte contemporânea. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia: Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro.

MARCONDES, Guilherme. (2018b), Arte e Sustento: os jovens artistas e suas estratégias de sobrevivência. 1 ed. Rio de Janeiro: Horizontes ao Sul.

MARCONDES, Guilherme. (2019), Arte Contemporânea e Legitimação: o caso das jovens artistas. Campinas: Cadernos Pagu (no prelo).

MARINI, Ruy Mauro. (2000), Dialética da dependência. In. SADER, Emir (org.). Dialética da Dependência: uma antologia da obra de Ruy Mauro Marini. 1 ed. Petrópolis: Vozes; Buenos Aires: CLACSO. pp. 105-165.

MAYOYO, Patricia. (2003), Historias de mujeres, historias del arte. 1 ed. Madri: Cátedra.

MIRANDA, Ana Carolina. (2014), Discursos e Práticas: a institucionalização dos coletivos de artistas. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais. Rio de Janeiro: Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

NOCHLIN, Linda. (1973), Why There Have Been no Gratests Women Artists? Art and Sexual Politics. 2 ed. Nova York: Macmilan Publishing Co.

PELUFFO, Gabriel. (2014), Arte e instituciones. La construcción simbólica de lo contemporáneo: 1973-2013. Nuestro Tiempo, v. 7 – Artes Visuales. Montevidéu: Libro de los Bicentenarios.

PROGRAMA BOLSA PAMPULHA. Bolsa Pampulha 2015-2016. Belo Horizonte, 2017.

PUCHET, May. (2013), Octaedro, los otros y axioma. Relecturas del Arte Conceptual en el Uruguay durante la dictadura (1973-1985). 1 ed. Montevidéu: Editorial Yaugurú.

PUCU, Izabela. (2017), Arte como Trabalho (e Vice-Versa). Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro.

QUEMIN, Alain. (2013), Les Stars de l’Art Contemporain - Notoriété et Consécration Artistiques dans les Arts Visuels. 1 ed. Paris: CNRS Éditions.

QUEMIN, Alain. (2016), “A distribuição desigual do sucesso em arte contemporânea entre as nações: uma análise sociológica da lista dos ‘maiores’ artistas do mundo”. In: QUEMIN, Alain; VILLAS BÔAS, Glaucia (org.). Arte e Vida Social: pesquisas recentes no Brasil e na França. 1 ed. Marselha: OpenEdition Press. Online. Disponível em: . DOI: 10.4000/books.oep.1474.

SANT’ANNA, Sabrina; MARCONDES, Guilherme; MIRANDA, Ana Carolina. (2017), Arte e política: a consolidação da arte como agente na esfera pública. Revista Sociologia & Antropologia, v. 7, n. 3, pp. 825-849.

SENNETT, Richard. (2001), Autoridade. 1 ed. Rio de Janeiro: Record.

SENNETT, Richard. (2009), O Artífice. 1 ed. Rio de Janeiro: Record.

SIMIONI, Ana Paula Cavalcanti. (2008), Profissão Artista: pintoras e escultoras acadêmicas brasileiras. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo; FAPESP.

SIMMEL, Georg. (1977), Sociología: estudios sobre las formas de socialización. 1 ed. Madrid: Ediciones Castilla.

SIMMEL, Georg. (2006), Questões Fundamentais da Sociologia: indivíduo e sociedade. 1 ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora.

SOFIO, Séverine. (2018), Como ter sucesso nas artes sem ser um homem? Manual para artistas mulheres do século XIX. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, n. 71, pp. 28-50.

TOMKINS, Calvin. (2013), Duchamp: uma biografia. 1 ed. São Paulo: Cosac & Naify.

WEBER, Max. (1999), Economia e Sociedade. 1 ed. Brasília: UNB, vol. 1.




DOI: http://dx.doi.org/10.20336/rbs.455

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN Impresso: 2317-8507

ISSN Eletrônico: 2318-0544


Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 

Indexado por:

 Hispanic American Periodicals Index

INDEX h5 

h5-index 7  /  h5-median 13