Indiferenciação por identidade: de História e Consciência de Classe à Dialética do esclarecimento

Lucas Trindade da Silva

Resumo


Enunciado central na teoria sociológica clássica e contemporânea é aquele que concebe a modernização das sociedades como uma ruptura em relação a uma pré-modernidade totalizada pelo mito e pela religião e, ato contínuo, como o crescente encerramento das ordens, esferas ou subsistemas da sociedade em legalidades próprias ou códigos intrínsecos e intransitivos. Pretende-se, neste artigo, realizar uma leitura da tradição que vai da reificação (Lukács) à identidade promovida pela racionalidade instrumental (Adorno e Horkheimer) como uma crítica radical àquele imaginário, na medida em que concebe a constituição de uma nova forma de indiferenciação no caminho da modernidade capitalista.


Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Theodor. (2009), Dialética negativa. 2 ed. Rio de Janeiro: Zahar.

ADORNO, Theodor.; HORKHEIMER, Max. (1985), Dialética do Esclarecimento. 1 ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed.

ANDERSON, Perry. (2004), Considerações sobre o marxismo ocidental; Nas trilhas do materialismo histórico. 1 ed. São Paulo: Boitempo Editorial.

BACHUR, João Paulo. (2009), Distanciamento e crítica: limites e possibilidades da teoria de sistemas de Niklas Luhmann. Tese de Doutorado – Programa de Pós-Graduação em Ciências Políticas. São Paulo: USP.

BASSANI, Jaison; VAZ, Alexandre. (2011), Sobre o domínio da natureza na filosofia da história de Theodor W. Adorno: uma questão para a educação. Revista Brasileira De Educação, v. 16, n. 46, pp. 9-32.

BECK, Ulrich; GIDDENS, Anthony; LASH, Scott. (1997), Modernização Reflexiva: política, tradição e estética na ordem social moderna. 1 ed. São Paulo: Editora UNESP.

COHN, Gabriel. (1998), A atualidade do conceito de indústria cultural. In: MOREIRA, Adalberto da Silva (org.). Sociedade global: cultura e religião. Petrópolis, RJ: Vozes. pp. 11-26.

COSTA, Jean Henrique. (2013), A atualidade da discussão sobre a indústria cultural em Theodor W. Adorno. Trans/Form/Ação, v. 36, n. 2, pp. 135-154.

DILTHEY, Wilhelm. (2010), A construção do mundo histórico nas ciências humanas. 1 ed. São Paulo: Editora UNESP.

DURKHEIM, Émile. (2010), Da divisão do trabalho social. 4 ed. São Paulo: Martins Fontes.

ENGELS, Friedrich; MARX, Karl. (2007), Manifesto comunista. 1 ed. São Paulo: Boitempo.

HALL, Timothy. (2011), Reification, Materialism, and Praxis: Adorno’s Critique of Lukács. Telos, n. 155, pp. 61-82.

JAY, Martin. (1984), Marxism and totality: the adventures of a concept from Lukács to Habermas. 1 ed. Berkeley; Los Angeles: University of California Press.

KLEIN, Stefan. (2015), Sobre a reivindicação sistêmica à criticidade. Novos estudos CEBRAP, n. 103, pp. 153-167.

LUHMANN, Niklas. (1998), Complejidad y Modernidad: de la unidad a la diferencia. 1 ed. Madrid: Editorial Trolla.

LUHMANN, Niklas. (2006). La Sociedad de la Sociedad. 1 ed. México: Editorial Herder.

LUHMANN, Niklas. (2010), Introdução à teoria dos sistemas. 1 ed. Petrópolis: Vozes.

LUKÁCS, Georg. (2003), História e Consciência de Classe. 1 ed. São Paulo: Martins Fontes.

MAAR, Wolfgang Leo. (2006), Materialismo e primado do objeto em Adorno. Trans/Form/Ação, v. 29, n. 2, pp. 133-154.

MARX, Karl. (2011), Grundrisse: manuscritos econômicos de 1857-1858: esboços da crítica da economia política. 1 ed. São Paulo: Boitempo; Rio de Janeiro: Ed. UFRJ.

MUSSE, Ricardo. (1994), Herdeiros do idealismo alemão. Trans/Form/Ação, n. 17, pp. 31-37.

NOBRE, Marcos; JANUARIO, Adriano; CONCLI, Raphael; YAMAWAKE, Paulo. (2013), Os modelos críticos de Max Horkheimer. Novos estudos CEBRAP, n. 96, pp. 153-163.

PARSONS, Talcott. (1969), Sociedades: Perspectivas evolutivas e comparativas. 1 ed. São Paulo: Enio Matheus Guazzelli & Cia. LTDA.

PARSONS, Talcott. (1974), O Sistema das Sociedades Modernas. 1 ed. São Paulo: Pioneira.

PUZONE, Vladimir. (2017), Filosofia da história ou reprodução da vida dos indivíduos? A crítica de Max Horkheimer a Georg Lukács e a reformulação do marxismo. Sociologia & Antropologia, v. 07, n. 01, pp. 239-265.

SILVA, Lucas Trindade da. (2018), Biopolítica e o enunciado da autonomização das esferas sociais. Tese de Doutorado – Programa de Pós-Graduação em Sociologia. Brasília: Universidade de Brasília. Disponível em: http://repositorio.unb.br/handle/10482/32140. Acesso em: 07 jan. 2019.

SIMMEL, Georg. (1998), O dinheiro na cultura moderna. In: SOUZA, Jessé; ÖELZE, Berthold. Simmel e a modernidade. Brasília: UnB. pp. 23-40.

SIMMEL, Georg. (2006), Questões fundamentais de sociologia. 1 ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

SPENCER, Herbert. (1891), Essays: scientific, political & speculative. 1 ed. Londres: Williams and Norgate.

STOEGNER, Karin. (2017), ‘Para além do princípio de gênero’: Horkheimer e Adorno sobre o problema de gênero e identificação. Cadernos De Filosofia Alemã: crítica e modernidade, v. 22, n. 02, pp. 135-151.

TAVOLARO, Sergio. (2005), Existe uma modernidade brasileira? Reflexões em torno de um dilema sociológico brasileiro. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 20, n. 59, pp. 5-22.

TAVOLARO, Sergio. (2007), Variações no interior de um discurso hegemônico? Sobre a tensão ‘ação – estrutura’ na sociologia contemporânea. Teoria & Pesquisa, v. XVI, n. 01, pp. 97-125.

TAVOLARO, Sergio. (2017), Retratos não-modelares da modernidade: hegemonia e contra-hegemonia no pensamento brasileiro. Civita, v. 17, n. 3, pp. 115-141.

TEIXEIRA, Mariana. (2010), Razão e reificação: um estudo sobre Max Weber em História e Consciência de Classe, de Georg Lukács. Dissertação de Mestrado – Programa de Pós-Graduação em Filosofia. Campinas: Universidade Estadual de Campinas.

VANDENBERGHE, Frédéric. (2009), A philosophical history of German Sociology. 1 ed. New York: Routledge.

WEBER, Max. (2004), A ética protestante e o “espírito” do capitalismo. 1 ed. São Paulo: Companhia das Letras.

WEBER, Max. (2016), Ética econômica das religiões mundiais: ensaios comparados de sociologia da religião. 1 ed. Petrópolis, RJ: Vozes.

ZIZEK, Slavoj. (2003), De História e consciência de classe a Dialética do esclarecimento, e volta. Lua nova, n. 59, pp. 159-176.

ZUIN, Antônio Álvares Soares. (2011), Sobre a atualidade do conceito de indústria cultural. Caderno Cedes, ano XXI, n. 54, pp. 9-18.




DOI: http://dx.doi.org/10.20336/rbs.448

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN Impresso: 2317-8507

ISSN Eletrônico: 2318-0544


Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 

Indexado por:

 Hispanic American Periodicals Index

INDEX h5 

h5-index 7  /  h5-median 13