A Trajetória Artístico-intelectual Glauberiana: Da Estética da Fome à Eztetyka do Sonho

Irma Maria Viana da Silva

Resumo


Partindo da hipótese de que  Glauber radicaliza sua  proposta de arte revolucionária, abordarei aqui  a passagem, na trajetória artístico-intelectual (e política) glauberiana, da  posição adotada no  manifesto Uma  Estética  da Fome (2004  [1965])  para  a pers- pectiva estético-teórica traçada na Eztetyka do Sonho  (2004  [1971]),  conferência re- alizada em Congresso na Columbia University. Rocha,  além  de cineasta de prestígio internacional, foi um dos principais teóricos do Cinema Novo e o estudo aqui  de sua trajetória artístico-intelectual não pode separar sua prática cinematográfica e política de sua teoria estética, entendida como ética. Assim,  a análise da passagem de um ma- nifesto a outro  nos permite observar os diversos sentidos da arte revolucionária teo- rizados por Glauber, suas  transformações e tentativas de aplicação prática, sob uma perspectiva descolonizadora e do ponto de vista da Crítica Pós-Colonial.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.20336/rbs.428

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Brasileira de Sociologia - RBS

ISSN Impresso: 2317-8507

ISSN Eletrônico: 2318-0544


Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons 4.

Indexado por:

 Hispanic American Periodicals Index

INDEX h5 

h5-index 8  /  h5-median 13