Sociologia dos conflitos ambientais: desafios epistemológicos, avanços e perspectivas

Lorena C. Fleury, Rômulo Soares Barbosa, Horácio Antunes de Sant’Ana Júnior

Resumo


O artigo argumenta que a sociologia ambiental, no Brasil,  constitui um campo consolidado de estudos que  envolvem diversos autores, grupos de pesquisa e temáticas. Demonstra o argumento apresentando uma  genealogia da discussão ambiental na sociologia, enfatizando a demarcação do campo dos conflitos am- bientais e suas interconexões com o debate internacional em sociologia. Reflete sobre o papel na configuração do campo de duas  décadas de Grupo de Trabalho sobre  conflitos socioambientais nos Congressos da Sociedade Brasileira de So- ciologia  e nas  reuniões anuais da Associação Nacional em Pós-Graduação em Ciências Sociais. Discute sobre os avanços teóricos e metodológicos na consoli- dação  do campo e argumenta pela contribuição da área de estudos para a socio- logia brasileira. Conclui identificando alguns dos principais desafios epistemo- lógicos concernentes à produção de conhecimento sobre conflitos ambientais e sugerindo pistas para uma  atualização da agenda de pesquisa.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.20336/rbs.227

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Brasileira de Sociologia - RBS

ISSN Impresso: 2317-8507

ISSN Eletrônico: 2318-0544


Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons 4.

Indexado por:

 Hispanic American Periodicals Index

INDEX h5 

h5-index 8  /  h5-median 13