Pop com gentílico

Luã Ferreira Leal

Resumo


A proposta deste artigo é analisar a conversão do mercado da música em fração do mercado de entretenimento e a criação de novos rótulos, sobretudo os elaborados na Coreia do Sul e no Japão desde a década de 1990. A “música pop” não será abordada neste trabalho como “gênero musical”, mas como categoria mercadológica ou índice de classificação da produção cultural. Os casos de empresas de entretenimento – Avex e AKS do Japão e YG, S.M. e Chrome da Coreia do Sul – serão apresentados para análise da interpenetração entre as atividades de produção de musical e as demais esferas do mercado de entretenimento. Devido ao conjunto de procedimentos classificatórios das indústrias culturais para a produção de entretenimento integrada globalmente, os gentílicos demarcam origem e são transformados em elementos que diferenciam produtos no mercado de bens simbólicos.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.20336/rbs.195

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Brasileira de Sociologia - RBS

ISSN Impresso: 2317-8507

ISSN Eletrônico: 2318-0544


Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons 4.

Indexado por:

 Hispanic American Periodicals Index

INDEX h5 

h5-index 8  /  h5-median 13