A construção social do tempo no cotidiano de bebês na família e na creche

Lucélia de Almeida Silva, Fernanda Müller

Resumo


O objetivo do artigo é analisar o uso do tempo de dois bebês no contexto familiar e em uma creche pública. Para a geração de dados foi utilizado o Diário de Uso do Tempo e entrevistas com as mães dos bebês. Dentre as atividades cotidianas dos bebês, elegemos o sono para análise e recorremos ao quadro conceitual de Erving Goffman. Ao compararmos o uso do tempo de ambos os bebês nos diferentes contextos observamos que o sono, mais que uma necessidade biológica, também é socialmente regulado por rotinas e rituais que configuram o ethos da situação social. Em casa a organização do tempo seguiu tanto as necessidades do bebê quanto a organização social da família. Na creche houve uma estruturação mais rígida do tempo.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.20336/rbs.192

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Brasileira de Sociologia - RBS

ISSN Impresso: 2317-8507

ISSN Eletrônico: 2318-0544


Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons 4.

Indexado por:

 Hispanic American Periodicals Index

INDEX h5 

h5-index 8  /  h5-median 13