À meia-noite levarei sua alma: cinema, modernidade e dominação

Ícaro Yure Freire de Andrade

Resumo


Este  artigo  analisa os elementos estéticos, históricos e morais presentes no filme  À meia-noite levarei  sua  alma de  José Mojica  Marins, enfatizando os elementos abjetos  assim  como  as  ações  de  seu  protagonista - o coveiro  Zé do  Caixão.  Entretanto, o principal foco  da  análise é apontar a importância do  cinema de  horror e dos  recursos estilísticos adotados pelo  mesmo para os estudos sociais. Portanto, buscou-se demonstrar como  o gênero  de horror traz  em seu  interior tensões e dilemas próprios às sociedades em que  foram produzidos, de modo  que,  a partir de seu  núcleo, podemos entender os pro- blemas das  próprias sociedades que  se reconhecem enquanto modernas ou perseguem um projeto de modernização.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.20336/rbs.175

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Brasileira de Sociologia - RBS

ISSN Impresso: 2317-8507

ISSN Eletrônico: 2318-0544


Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons 4.

Indexado por:

 Hispanic American Periodicals Index

INDEX h5 

h5-index 8  /  h5-median 13