O Gênero da Posse da Terra: um estudo sobre o poder de negociação de mulheres titulares de lotes via reforma agrária

Maria L. D. A. Barbosa, Débora F. Lerrer

Resumo


Ocupar terras, ser assentada via política de reforma agrária  e ser titular do lote é um fato que raramente ocorre  na trajetória da maioria das mulheres do cam- po. Este estudo, com pesquisa realizada no Assentamento Santa Rosa/Córrego das  Posses,  localizado na  região  do Vale do Mucuri em  Minas  Gerais/Brasil, teve  como  foco verificar se e como  o direito e a posse  da terra  reposicionam as mulheres em âmbito doméstico e público, isto é, se conferem a elas maior poder de barganha. A literatura aponta que  a construção de igualdades reais para  as mulheres rurais está  vinculada à conquista da posse  da terra.  O caso estudado apontou que a posse  influencia as possibilidades de negociação das mulheres, mas, sobretudo, quando é operada concomitantemente a outras di- mensões, como a renda, divisão sexual do trabalho, relações sociais  e família.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.20336/rbs.173

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Brasileira de Sociologia - RBS

ISSN Impresso: 2317-8507

ISSN Eletrônico: 2318-0544


Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons 4.

Indexado por:

 Hispanic American Periodicals Index

INDEX h5 

h5-index 8  /  h5-median 13