Fusão, tensão e dissensão: forças de configuração da intimidade reflexiva

Octávio Sacramento

Resumo


A  intimidade pós-moderna constitui uma   esfera  estruturalmente  marcada pela  complexa convivência de  disposições sociais  de  dissensão e de  fusão. Por  um  lado,  é permeada por  condições propícias à individualização, à re- flexividade e à electividade, o que  contribui para  reforçar idiossincrasias e aspirações pessoais nas  relações íntimas. Por outro  lado,  encontra-se simbo- licamente colonizada pela  grande narrativa romântica, uma  matriz cultural muito valorizada e desejada, que  impulsiona os sujeitos no sentido da fusão passional. Delineado num formato ensaístico, o artigo   assume como  objecto de análise central as manifestações de forças  antagónicas na configuração da intimidade, procurando compreender as muitas tensões, ambiguidades, con- tradições e volatilidades que tendem a caracterizá-la.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.20336/rbs.166

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Brasileira de Sociologia - RBS

ISSN Impresso: 2317-8507

ISSN Eletrônico: 2318-0544


Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons 4.

Indexado por:

 Hispanic American Periodicals Index

INDEX h5 

h5-index 8  /  h5-median 13