Reflexões sobre a internacionalização da sociologia brasileira

Tom Dwyer

Resumo


Um dois custos da globalização cultural é o de termos que nos comunicar com o outro. Por toda parte se entende o diálogo entre cientistas como uma necessidade para o desenvolvimento de ciências mais robustas e de um mundo menos fragmentado. A opção de internacionalização pela via da língua inglesa levou à incomunicação nas ciências sociais. A abertura de novas frentes de internacionalização da sociologia que não se comunica nem em português (como no meio lusófono), nem em espanhol ou “portunhol” (como nas relações com a Espanha e América Latina), nem em inglês (como na globalização ampla), abre novas possibilidades de interlocução. Este artigo discute esses processos e aponta para uma reflexão acerca da necessidade de ampliação dos níveis de internacionalização.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.20336/rbs.24

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Brasileira de Sociologia - RBS

ISSN Impresso: 2317-8507

ISSN Eletrônico: 2318-0544


Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons 4.

Indexado por:

 Hispanic American Periodicals Index

INDEX h5 

h5-index 8  /  h5-median 13