O mercado de trabalho e a questão do emprego no brasil: integração precária e desenvolvimento desigual

Francisco Eduardo Beckenkamp Vargas

Resumo


Neste  trabalho, analisa-se o mercado de trabalho e a questão do em- prego no Brasil como questão social,  discutindo-se a evolução recente do emprego e das políticas sociais  de renda mínima como  fatores  de integração social.  Nestes  termos, procura-se identificar em  que  me- dida  o crescimento recente do emprego formal  e uma  tendência de desprecarização do trabalho, ancorados num novo  modelo de desen- volvimento que  se propõe mais  inclusivo, se constituem em  supor- tes efetivos de integração dos trabalhadores e de superação das  pro- fundas desigualdades que marcam a história da sociedade brasileira. Para tanto, aborda-se dois  aspectos fundamentais. De um  lado,  iden- tifica-se as principais formas  de integração econômica e de proteção social  dos trabalhadores, não vinculadas ao mundo trabalho, particu- larmente no âmbito das  políticas sociais  e de assistência. Avalia-se, neste  caso, como tem se configurado, no período recente, o problema da pobreza. Por outro  lado,  discute-se como  tem evoluído o emprego formal,  seu peso  na estrutura ocupacional e na distribuição da renda e em que medida sua evolução tem sido marcada por formas precárias de inserção ocupacional. Levanta-se a hipótese de que  tem  se confi- gurado, no Brasil,  um  novo  modelo precário de integração da classe trabalhadora, um precariado, no qual se combinam a precariedade no emprego e no trabalho e uma  forte presença do Estado  assistencial.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.20336/rbs.82

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Brasileira de Sociologia - RBS

ISSN Impresso: 2317-8507

ISSN Eletrônico: 2318-0544


Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons 4.

Indexado por:

 Hispanic American Periodicals Index

INDEX h5 

h5-index 8  /  h5-median 13