Decodificando a Zika e a Covid-19

Grupo de pesquisadores da Universidade do Texas em Austin, em parceria com a UFMG e UFPE, realizam pesquisa que tem como objetivo estudar os impactos da epidemia de Zika e Covid-19 na saúde reprodutiva, fertilidade e outros processos demográficos no Brasil.

A pesquisa Decode é desenvolvida desde 2016 pela Universidade do Texas em Austin, em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais e a Universidade Federal de Pernambuco. Atualmente, os pesquisadores buscam por voluntárias em todo o Brasil para responder a uma pesquisa online e anônima, sobre as consequências importantes que a epidemia de Zika e a pandemia de Covid-19 pode trazer para a saúde reprodutiva da mulher. 

Se você é mulher, tem entre 18 e 45 anos e mora no Brasil, te convidamos a responder o questionário que leva em torno de 15 minutos. Sua participação na pesquisa poderá trazer benefícios individuais e coletivos no futuro, ajudando a identificar meios de redução da vulnerabilidade das mulheres brasileiras às crises sanitárias.  

Acesse aqui ao questionário ou insira o QRCode.

Para mais informações, acesse os portais da UFMG e da Universidade do Texas.