Conheça os artistas que fizeram parte da programação de novembro do SBS Convida: Papo reto sobre racismo no Brasil.

A convite da Sociedade Brasileira de Sociologia (SBS) e do Comitê de Pesquisa em Sociologia das Relações Étnico-Raciais da SBS, Jessica Hipólito selecionou obras de 5 artistas brasileiros cujos trabalhos exaltam temas e reflexões sobre diversas questões étnico-raciais contemporâneas.

Jessica é museóloga, graduada pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), mestre e doutoranda em Memória Social, na linha de Memória e Espaço pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). É bolsista de doutorado pela CAPES, tendo experiência nas áreas de Museologia, Cultura e Memória, atuando principalmente nos seguintes temas: análise de discurso expositivo, relações raciais, educação museal e patrimonial, ações afirmativas e políticas de promoção de igualdade.

Foi então, por meio de sua curadoria que, ao longo das 4 semanas do “Papo reto sobre racismo”, André Vargas, Elian Almeida, Yhuri Cruz e Aline Motta, disponibilizaram algumas de suas obras, apresentadas em diálogo com os temas e debates trazidos pelas Lives da programação.

André Vargas

Cabofriense de nascimento, mas morador do Méier, bairro da Zona Norte do Rio de Janeiro, traz a identidade suburbana no discurso, na vivência e também na produção artística. Acadêmico de filosofia, escritor de livro infantil e contestador das práticas coloniais através de obras que misturam escrita, religiosidade afro-brasileira e estratégias estético-visuais. Trabalhou com educação em espaços culturais como: Museu de Arte do Rio, Biblioteca Parque Estadual e Instituto Moreira Salles e como artista educador oficineiro no CCBB-RJ e no Museu de Arte Moderna – RJ.

André abriu a programação das exposições, fazendo parte da primeira semana de atividades que levou como tema: Nosso Legado: a formação do campo teórico das relações étnico-raciais no Brasil e as mudanças recentes.

Elian Almeida

Elian Almeida, nascido e criado na Baixada Fluminense é formado pelo Instituto de Artes da UERJ e atualmente cursa o último ano de licence em Cinema e Audiovisual no departamento de arts e médias da Université Sorbonne Nouvelle – Paris. Trabalhou como educador no Museu de Arte do Rio e ao longo de três anos pode desenvolver estratégias de mediação e pesquisa pautadas na perspectiva decolonial e na produção de contranarrativas.

Elian apresentou suas obras durante a segunda semana de atividades, que levou como tema Nossas conquistas: as lutas políticas contra o racismo no Brasil

Yhuri Cruz

Graduado em Ciência Política pela UNIRIO e pós-graduado em Jornalismo Cultural pela UERJ, desenvolve sua prática artística trabalhando poética, literatura, proposições performativas – chamadas pelo artista de cenas -, que visam refletir as hierarquizações, opressões e sistemas de poder.

As obras de Yhuri integraram a programação da terceira semana de atividades, que trouxe como temática Nossos desafios: a persistência das desigualdades nas instituições.

Aline Motta

A artista visual, diretora e comunicadora Aline Motta é uma niteroiense que vive e trabalha em São Paulo. Graduada em Comunicação Social pela UFRJ e pós-graduada em Cinema pela The New School University (NY).

Desenvolve diversas técnicas e práticas artísticas, utilizando fotografia, vídeo, instalação, performance, colagem, têxteis e arte sonora para criar e formar corporalidades outras, que dêem sentido e ressignifiquem memórias que elaboram novas formas de existir no mundo.

Como artista visual Foi contemplada com o Programa Rumos Itaú Cultural 2015/2016, com a Bolsa ZUM de Fotografia do Instituto Moreira Salles 2018 e com 7º Prêmio Indústria Nacional Marcantonio Vilaça 2019. Participou das exposições “Histórias Feministas, artistas depois de 2000”, no MASP, “Histórias Afro-Atlânticas” na parceria institucional MASP e Instituto Tomie Ohtake. Atualmente, está com a mostra individual “Aline Motta: memória, viagem e água” no MAR – Museu de Arte do Rio.

Aline apresentou suas obras durante a última semana da programação, intitulada Nossas perspectivas: novas narrativas, novas epistemologias.

foto: Aline Motta

Para ver a descrição dessas e outras obras – além de conhecer um pouco mais da história desses artistas, acesse a página da SBS no Facebook.

Todas as lives do SBS Convida: papo reto sobre racismo no Brasil já estão disponíveis no canal da SBS tv, no Youtube. Confira!