01/12/2017

DISCURSO DE POSSE DO PRESIDENTE DA SBS NO ENCONTRO DA ANPOCS

Caxambú 25/10/17
 
Prezados Colegas,
 
Gostaria de agradecer a confiança dos associados na nova Diretoria eleita no 18º Congresso da SBS. Temos consciência das responsabilidades que assumimos diante da comunidade nacional de sociologia.
 
A SBS constitui o resultado de uma contínua construção institucional ao longo de várias décadas que foi intensificada nos últimos anosa nova Diretoria deseja expressar, o reconhecimento aos trabalhos desenvolvidos pelos ex- Presidentes, aos integrantes de Diretorias anteriores, que têm contribuído para o processo de construção institucional da SBS.
 
O traço comum que tem marcado o trabalho das diversas Diretorias tem sido uma defesa intransigente da missão acadêmica da SBS e uma atitude zelosa visando preservar os valores da sociologia enquanto disciplina científica.    
 
Procuraremos desenvolver uma gestão pautada pelos objetivos que tem conduzido a SBS, ou seja: estimular e qualificar o ensino e a pesquisa da sociologia no país e inseri-la cada vez mais no competitivo contexto internacional da disciplina.
 
As sucessivas gestões da SBS têm procurado inserir a sociologia, no processo das transformações da sociedade brasileira, enquanto um ator acadêmico. Ao mesmo tempo as Diretorias, têm pautado suas atividades pelo reconhecimento da pluralidade teórica e metodológica existentes na sociologia brasileira e têm trabalhado para manter a convivência desta diversidade de perspectivas de análise, de forma respeitosa e frutífera no interior da SBS. Seguiremos nesta mesma orientação.
 
A sociologia encontra-se presente em diferentes esferas da sociedade brasileira, como, nas universidades, na administração pública, em atividades do setor privada, nas organizações não governamentais, e também em diferentes movimentos sociais. Em função desta expressiva presença temos o encargo de qualificar cada vez mais o ensino e a pesquisa da sociologia que tem reverberado em diferentes âmbitos de sua atuação na sociedade brasileira.
 
Depois de uma longa luta pela introdução da sociologia no ensino médio, liderada pela SBS, deparamos com uma legislação que restringe sua posição na estrutura curricular neste nível de ensino. Em função desta situação, temos o desafio de nos empenhar para reverter à posição que a sociologia vinha ocupando no ensino médio e ao mesmo tempo temos a incumbência de criar mecanismos para qualificar o corpo docente encarregado de ensinar esta disciplina no ensino médio.
 
De certa forma, não seria incorreto afirmar que os cursos de graduação de ciências sociais existentes no país, constituem a faceta menos conhecida do ensino da sociologia realizado por nós. Neste sentido, a SBS tem o desafio de estimular a realização de trabalhos que propicie informações pertinentes sobre a formação acadêmica fornecida nos cursos de graduação, tais como, composição e qualificação do corpo docente, conteúdo das disciplinas afetas a sociologia. Temos o desafio de obter mais informações sobre os cursos de graduação de ciências sociais existentes nas faculdades privadas, de perfil comercial, que formam um contingente de sociólogos, com vistas a formular propostas de melhoria para este segmento privado.
 
A partir da década de 1970, a pós-graduação de sociologia expandiu e encontra-se presente atualmente em todas as regiões do país, de tal forma que desde então vem se formando uma expressiva comunidade de sociólogos no país. A SBS, juntamente com outras associações científicas atuará no sentido de reivindicar a manutenção do financiamento público dos Programas de pós-graduação por parte das agências federais e estaduais de fomento.
Ao lado da aposentadoria de professores seniors - que tiveram uma participação influente na montagem da pós-graduação de sociologia nas diferentes regiões do Brasil observa-se simultaneamente um crescente processo de deslocamento geográfico de jovens doutores, rumo a diversas regiões do país em busca de oportunidades de trabalho acadêmico. Embora não se têm informações precisas a respeito desta mobilidade geográfica, a SBS acredita que este processo poderá ter a médio e longo prazo efeitos positivos na dinâmica da Pós-graduação em sociologia. Esta mobilidade poderá estimular nos Programas a competição por jovens docentes talentosos e contribuir para neutralizar o recrutamento endógeno e ao mesmo tempo, poderá propiciar a inclusão de novas temáticas de pesquisa e de novas abordagens teorias e metodológicas no interior dos Programas de Sociologia. Estas mudanças e outras correlatas à pós-graduação em sociologia deverão ser contempladas na agenda de trabalho da SBS.
 
Para viabilizar uma agenda de trabalho que contemple diversos temas relacionados ao ensino, pesquisa, politica educacional e científica, publicações, etc, afetos a SBS, a Nova Diretoria constituirá Comitês de Trabalho ad hoc para analisar temas pontuais, de tal forma a mobilizar associados de diferentes gerações e regiões do país. 
 
Tornou-se assunto recorrente nos órgãos federais e estaduais de financiamento e no interior dos Programas a questão do desafio da internacionalização da sociologia realizada no país. Para a SBS, o enfrentamento da complexa questão da internacionalização, implica uma constante reflexão da comunidade sociológica brasileira, a respeito da formação de um novo espaço de produção e circulação do conhecimento sociológico - ou seja, de um espaço transnacional. A questão da internacionalização requer também repensar constantemente a produção sociológica que vem sendo realizada atualmente no Brasil, revendo criticamente o grau de pertinência do arsenal teórico e sociológico que vem informando suas investigações, tendo em vista suas possibilidades de inserção neste competitivo espaço transnacional. A empreitada de cotejar a produção sociológica realizada no Brasil nos dias recentes diante deste novo espaço internacional da produção e circulação da sociologia contemporânea terá continuidade na nova gestão como um dos eixos de atuação.   
 
Não poderia deixar de mencionar na parte final desta fala que o Brasil vive nos dias atuais um momento sombrio Ao lado do recrudescimento das desigualdades socioeconômicas, presenciamos também ameaças à preservação de direitos sociais, a deterioração da vida política institucional, a mobilização de setores conservadores que ameaçam constantemente a livre expressão na esfera das artes, cultura, no espaço do ensino interditando a discussão de determinados temas, bem como um ataque ao caráter laico do Estado brasileiro, que tem reverberado em várias dimensões da vida pública no país.
 
A SBS dentro de seus limites de atuação se juntará a outras associações científicas para denunciar estas e outras ações obscurantistas e que constituem um ataque a direitos sociais e à própria democracia. Este significativo retrocesso histórico, encontra-se presente também na atividade científica realizada no país. Presenciamos o processo de deterioração da situação da ciência e tecnologia no Brasil e também uma profunda crise de financiamento das universidades públicas estaduais e federais que ameaça o futuro do Brasil, enquanto uma nação autônoma.
 
Nas últimas décadas, as universidades públicas brasileiras se consolidaram como um locus estratégico de ensino de alta qualidade e de geração de pesquisas de ponta. Em boa parte esta consolidação ocorreu em função da expansão da pós-graduação nacional. No entanto, este cenário positivo encontra-se ameaçado de ser drasticamente interrompido no momento atual. O contingenciamento dos recursos para o MCTIC, em 2017 reduziu drasticamente o orçamento de custeio e investimento em CT&I para apenas três bilhões, ou seja, cerca de um terço do valor alcançado em 2013. Na proposta governamental para o Orçamento de 2018, apenas 2,7 bilhões estão destinados para o custeio e investimentos no MCTIC. Em função deste novo corte, a situação do CNPq se tornará dramática, uma vez que os recursos destinados a ele permitirá o pagamento de Bolsas de IC, de PG e de Pesquisa somente até meados de 2018.
 
Este é um momento em que temos a responsabilidade de fortalecer a SBS e outras associações científicas nacionais, enquanto um ator social que nos seus limites institucionais, tem o dever de lutar pela preservação de uma sociedade democrática e tolerante e de reivindicar condições adequadas para a realização de nossas obrigações enquanto docentes e pesquisadores.
 
Em diversas sociedades contemporâneas as sociedades científicas constituem atores sociais fundamentais que atuam na defesa de princípios democráticos, na preservação de autonomia científica de seus países, ou seja, constituem um contra peso contra interferências políticas, religiosas e/ou ideológicas que possam restringir ou ameaçar a liberdade de investigação.
 
A SBS atuará nesta direção nos próximos dois anos.
 
Nestes dois anos que temos pela frente a SBS tem o objetivo de promover diversas atividades voltadas para uma análise crítica da situação, social, politica econômica e cultural do Brasil nos dias atuais.
 
Esperamos poder contar com a colaboração dos associados nos diversos desafios que temos que enfrentes nos próximos dois anos.
 
Uma vez mais, gostaria de agradecer a confiança que foi depositada na nova Diretoria.
 
Carlos Benedito Martins
Presidente


REVISTA BRASILEIRA DE SOCIOLOGIA

O principal foco da Revista é a produção acadêmica e cientifica acerca da realidade brasileira e mundial contemporâneas.

Leia mais


Sociologies in Dialogue

Sociologies in Dialogue is a semiannual publication of the Brazilian Sociological Society focused on presenting unpublished articles in the field of Sociology

Leia mais




programas de pós-graduação

12/10

Concurso para Professor na Universidade Federal do Maranhão

01/10

Processo Seletivo Programa de Pós-Graduação em Sociologia 2015/20...

03/07

IX Jornada de Alunos PPGA/UFF 2015.




SECRETARIA GERAL

SBS - Sociedade Brasileira de Sociologia
PUCRS - PPG em Ciências Sociais
Avenida Ipiranga, 6681 - Partenon
CEP: 90619-900 - Porto Alegre, RS
secretaria@sbsociologia.com.br

SIGA NAS REDES SOCIAIS


Desenvolvido por Master Tecnologia