06/06/2014

CARTA ABERTA DO ENCONTRO NACIONAL DO PIBID CIêNCIAS SOCIAIS/SOCIOLOGIA

Quando a obrigatoriedade do ensino de Sociologia se coloca para a realidade escolar brasileira, ela coincide com a abertura do primeiro edital da CAPES para o PIBID. Dessa feliz coincidência se instaura, então, um processo contínuo de retroalimentação. Assim, não há como negar que o PIBID, atualmente, exerce um papel importante e decisivo na Educação Básica Brasileira. Ele está, a um só tempo, desestabilizando as instituições de ensino superior, os cursos de licenciaturas, os/as professores/as formadores/as, os/as professores/as em exercício, os/as licenciandos/as, os/as gestores/as e outros profissionais da educação e, consequentemente, reconstruindo conceitos, princípios e transformando essas instâncias que envolvem a formação do professor para a educação básica, particularmente no ensino de Sociologia. O PIBID potencializa as ações na escola, valoriza as licenciaturas, estabelece a ligação entre a Educação Básica e o Ensino Superior ao trazer o licenciando para as escolas, e levar o supervisor para a universidade, unindo Educação Básica e Ensino Superior na formação docente.

Com base nesse cenário e em face do anseio externado na Reunião de Trabalho PIBID durante o III ENESEB - Encontro Nacional de Ensino de Sociologia na Educação Básica ligado a SBS - Sociedade Brasileira de Sociologia, ocorreu nos dias 07 e 08 de dezembro de 2013 na UFU - Universidade Federal de Uberlândia com o apoio organizativo da UNESP - Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” e a PUCPR - Pontifícia Universidade Católica do Paraná, e o apoio da CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior o Encontro Nacional do PIBID Ciências Sociais/Sociologia. O encontro compartilhou e socializou experiências, discutiu a formação dos licenciandos/as em Ciências Sociais frente ao PIBID e as novas perspectivas da Educação no Brasil, e externou algumas perspectivas para a licenciatura e para o PIBID de Ciências Sociais em uma plenária final.

Foi unânime entre os presentes a certeza de que a participação no PIBID é uma oportunidade única para os estudantes de Ciências Sociais. Dentre os vários depoimentos, percebe-se que as experiências nas escolas desenvolvem o apreço pela docência nos bolsistas, o que reflete no dia a dia do curso de Ciências Sociais com o maior comprometimento destes alunos com o curso, o maior e melhor conhecimento sobre a Educação Básica Pública, e também com a influência nos demais alunos/as, que se interessam em participar do Programa. Outra constatação é da contribuição no campo da investigação, pois as escolas passam a ser um campo de observação para o desenvolvimento de pesquisas e produção científica, como bem demonstrado pela participação dos alunos bolsistas em congressos, encontros e simpósios com apresentação de artigos, banners, pôsteres e comunicações científicas que têm contribuído para enfatizar e consolidar a formação de um professor-pesquisador. Assim desenvolvem pesquisas em diferentes campos do ensino de Ciências Sociais, sobre as juventudes e seus vários aspectos, sobre as experiências nas escolas que devem, sempre, ser pautadas por fundamentos teórico-metodológicos que incidem em análises e indicações de estratégias para o ensino em Ciências Sociais, sobre o PIBID e a partir do PIBID. Desta forma, surgem muitas pesquisas e proposições sobre os princípios do Ensino Médio e da Educação no Brasil sob a perspectiva das Ciências Sociais.

Neste cenário de avanços desenhado pelos participantes do Encontro Nacional do PIBID Ciências Sociais/Sociologia, algumas perspectivas e muitos desafios ainda são presentes e merecem atenção e planejamento tanto na escola como na universidade e do poder público, pois os investimentos do Governo Federal no Programa de Iniciação à Docência deve, necessariamente, vir acompanhado de um compromisso e esforço para a valorização salarial e profissional do professor em exercício e de melhoria da escola pública. Assim, dentre os itens de pauta levantados pela plenária destacam-se:

- A contratação do professor por escola e não por hora aula, evitando o deslocamento do professor por diversas escolas e fixando sua atenção em um determinado contexto escolar. Com isso, pode-se quebrar com a concepção do Professor “auleiro” e permitir que o profissional exerça, também, o papel de cientista social na escola;

- Cumprir de fato as leis como o piso salarial, o Pacto do Ensino Médio e ampliar as horas atividades nas escolas, pois apenas 33% é insuficiente para o bom planejamento, aplicação e avaliação de ações pedagógicas;

- Implantar bolsas para os/as alunos/as do Ensino Médio (“PIBID - Júnior”); espelhando-se no programa PIBIC Júnior, já existente, que possibilitará mobilizar e incentivar o jovem como sujeito de direito no processo educativo;

- Pensar, junto com a comunidade escolar, modificações na carreira e nos concursos públicas para o Ensino Médio, afim de não perder o investimento do PIBID, para permitir a fixação de fato os/as licenciandos/as na Educação Básica Pública;

- Entender que o PIBID não é somente Ensino, mas também pesquisa e extensão; sendo sim uma proposição integrada. Só por meio desse entendimento poderemos o reconhecer o espaço do PIBID não apenas como o espaço físico para as atividades, mas substancialmente como espaço laborativo, formativo e propositivo;

- Promover uma equivalência ou “redução” de carga horária para os professores da Educação Básica e dos professores coordenadores de área para poderem se dedicar ao PIBID;

- Pensar, discutir e organizar os currículos nas universidades e no Ensino Médio, bem como currículos mínimos entre os PIBIDs de Sociologia/Ciências Sociais, como, por exemplo, com temas transversais nas áreas da saúde, meio ambiente, e diversidade;

- Fortalecer a necessidade da discussão dentro dos cursos de graduação em Ciências Sociais sobre os impactos do PIBID na formação dos/as licenciandos/as, incentivando a colaboração dos demais colegas professores como co-formadores;

- Incentivar a equivalência do PIBID para os estágios de observação nas IES, entendendo os encontros e distanciamentos das atividades realizadas pelo PIBID e do estágio supervisionado;

- Consolidar e valorizar a Sociologia no Ensino Médio, ampliando a sua existência também para o Ensino Fundamental;

- Efetivar de fato a interdisciplinaridade no ensino, na pesquisa e na extensão entre as três áreas das Ciências Sociais (Sociologia, Antropologia e Ciência Política), entre as diferentes disciplinas na Educação Básica; e entre os diferentes PIBIDs. Embora em alguns grupos essas interdisciplinaridades já existam, em outros ainda ocorrem dificuldades;

- Exigir que os estágios e as práticas de ensino em Ciências Sociais devam ser ministrados por professores com formação na área de Ciências Sociais, e que também os supervisores da Educação Básica tenham formação na área de Ciências Sociais,

- Valorizar e afirmar o papel de co-formador do supervisor, tendo em vista sua conexão entre o/a licenciando/a e a realidade escolar.

Ficou evidente no Encontro Nacional do PIBID Ciências Sociais/Sociologia a diversidade de propostas dos PIBID de Ciências Sociais/Sociologia que existem pelo Brasil, e a necessidade de buscar uma identidade para o PIBID Ciências Sociais/Sociologia. As instituições participantes do Encontro Nacional do PIBID Ciências Sociais/Sociologia foram: Universidade Federal de Pelotas; Universidade Municipal de Blumenau; Universidade Federal do Vale do São Francisco; Centro Universitário Fundação Santo André; Universidade Federal da Fronteira Sul; UNESP-Marília; UNESP-Araraquara; Universidade do Estado da Bahia; Universidade de Brasília; Universidade Estadual do VAle do Acaraú; Universidade Estadual de Londrina; PUCPR-Curitiba; e Universidade Federal de Uberlândia.

Além desta Carta Aberta do Encontro Nacional do PIBID Ciências Sociais/Sociologia que será enviada como proposta do encontro para diversas instituições e órgãos do Brasil, ficou indicado também um próximo encontro com um dia, pelo menos, dedicado exclusivamente a discussões do PIBID Ciências Sociais/Sociologia junto ao próximo ENESEB, que está proposto para se realizar na UNISINOS - Universidade do Vale do Rio dos Sinos em São Leopoldo - RS em 2015.

 

Voltar



REVISTA BRASILEIRA DE SOCIOLOGIA

O principal foco da Revista é a produção acadêmica e cientifica acerca da realidade brasileira e mundial contemporâneas.

Leia mais


Sociologies in Dialogue

Sociologies in Dialogue is a semiannual publication of the Brazilian Sociological Society focused on presenting unpublished articles in the field of Sociology

Leia mais




programas de pós-graduação

12/10

Concurso para Professor na Universidade Federal do Maranhão

01/10

Processo Seletivo Programa de Pós-Graduação em Sociologia 2015/20...

03/07

IX Jornada de Alunos PPGA/UFF 2015.




SECRETARIA GERAL

SBS - Sociedade Brasileira de Sociologia
PUCRS - PPG em Ciências Sociais
Avenida Ipiranga, 6681 - Partenon
CEP: 90619-900 - Porto Alegre, RS
secretaria@sbsociologia.com.br

SIGA NAS REDES SOCIAIS


Desenvolvido por Master Tecnologia